quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Vitória sobre o Atlético Paranaense pela a Série A por 1 x 0, renasce as esperanças do Santa Cruz


A vitória conquistada ontem a noite por 1 x 0, sobre o Atlético Paranaense no estádio do arruda com gol do atacante Bruno Moraes aos 45 minutos do segundo tempo no apagar das luzes, fez renascer as esperanças dos tricolores em ainda conseguir uma reação que evite que no final do Campeonato Brasileiro da Série A, que o time seja rebaixado para a segunda divisão nacional da temporada do ano que vem.  Foi sofrido, foi dramático, mas foi do jeitinho que o torcedor do Santa Cruz já conhece da sua equipe.

Com muita luta, suor, garra, vontade e bastante raça, o mais querido conseguiu no final dos 90 minutos sair com um triunfo muito importante para o seu futuro ao final da competição. "A gente se dedicou no jogo todo em busca desse gol. Agradeço aos que estão nos apoiando, mas temos forças para sairmos dessa situação onde eu acredito. E com essa força e determinação que mostramos hoje, tudo fica mais provável", falou Néris ao final do jogo.

Agora, o desafio será duplo fora de casa. O time terá a missão difícil de ter que conquistar no mínimo quatro pontos diante do Santos - SP no Pacaembú, e o Figueirense - SC no Orlando Scarpeli. E a primeira dessas duas partidas, será já no próximo domingo contra o peixe em São Paulo.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Doriva deixa recado para o elenco do Santa Cruz


Depois de voltar a amargar mais uma derrota como técnico do time pelo o Campeonato Brasileiro da Série A de 2016, Doriva continua acreditando que o Santa Cruz pode escapar do rebaixamento para a segunda divisão nacional da temporada do ano que vem. 

Apesar de ao final de cada rodada mesmo com a situação da equipe na tabela de classificação da competição ficar ainda mais difícil, o treinador tricolor mantém o discurso de que os corais tem que continuar com a esperança que o mais querido vai permanecer na elite do futebol brasileiro para 2017. 

Além disso, ontem na entrevista coletiva do comandante do Santa após a derrota do time para o Sport Recife na Ilha do Retiro por 5 x 3, pelo o clássico das multidões, Doriva acabou deixando um recado diretamente para os jogadores do elenco tricolor. 

Segundo ele, quem não estiver acreditando na salvação do clube do rebaixamento para a Série B da próxima temporada pode entrar em acordo e ir embora. "Se tiver alguém que não acredita, pode falar com a gente e ir embora. Não tem problema. Nós queremos quem acredita e quem vai até o final", afirmou o treinador.

domingo, 11 de setembro de 2016

Na História! Flávio Caça Rato, lembra dele ?


Olá torcedor tricolor, tudo bem ? Mais um texto especial do “Na História!” e hoje Falaremos do atacante Flávio Caça-Rato, lembra dele ?

Flávio Recife, como era conhecido também, chegou ao Santa após o campeonato estadual de 2011, onde o Mais Querido se sagrou campeão. O jogador havia sido destaque pelo time da Cabense, durante a competição. O Jogador logo se tornou xodó da torcida, mostrando muita velocidade, habilidade e vontade. Sua primeira partida com a camisa tricolor, foi em um Amistoso diante do América/RN, onde o Santa venceu por 3x0, no Arruda. 

Na ocasião, o jogador marcou um dos gols da partida e se movimentou muito bem. Durante a Série D foi reserva em praticamente todos os jogos, mas sempre era acionado durante as partidas, dando mais velocidade nas partidas, quando, principalmente, eram jogos que necessitava dessa característica. O grande defeito do jogador era a deficiência na finalização, onde, em algumas oportunidades, o jogador perdeu gols depois de boas jogadas construídas. 

O Santa conseguiu o acesso para a Série C, mas ficou com o vice-campeonato da quarta 4ª divisão do Nacional. O Jogador teve seu contrato renovado e prosseguiu no elenco em 2012. O jogador foi titular durante praticamente todo o estadual. No inicio da competição o jogador começou atuando ao lado do atacante Branquinho. Mas com a chegada de Dênis Marques, os dois fizeram uma dupla muito boa no ataque coral. 

Caça-Rato pode ter feito poucos gols, mas era uma peça importante no esquema do técnico Zé Teodoro. Na final, diante do Sport recife, deu um belo passe para o primeiro gol do Santa na partida, assinalado por Branquinho. O Santa venceu a partida por 3x2 e se sagrou campeão. Durante a Série C foi titular em quase todos os jogos, mas continuou tendo a mesma dificuldade nas finalizações. O Santa acabou fazendo uma primeira fase ruim, sendo eliminado da competição.


Em 2013 permaneceu no elenco do tricolor e começou como titular com o técnico Marcelo Martelotte, durante a Copa do Nordeste. Porém com o decorrer dos jogos perdeu vaga para os atacantes Paulo César e Danilo Santos.  Após a volta de Dênis Marques ao Arruda, o jogador cresceu e voltou a ganhar chance como titular, no time coral. Foi protagonista na final do estadual, diante do Sport Recife, ao marcar um dos gols da equipe tricolor, na vitória por 2x0, na Ilha do Retiro. 

O Gol foi muito bonito, o jogador recebeu bom lançamento de Raul, entrou na área e deu um belo corte em Magrão seguido de um chute rasteiro no fundo dos barbantes. O gol foi muito festejado por Dênis Marques, já que o centroavante havia dado muitas dicas para que Flávio pudesse ter tranquilidade em suas finalizações. Durante a Série C, começou como titular com o técnico Sandro, com o passar dos jogos voltou para o banco de reserva. 

Depois da saída do técnico Sandro, Vica assumiu a equipe. Caça-Rato ficou entrando sempre no decorrer dos jogos, mas foi protagonista mais duas vezes. Foi dele o gol que levou o Santa a Série B do nacional e saiu de seus pés, também, o gol que deu o Santa o título da Série C. Em 2014 o jogador permaneceu na equipe tricolor, porém não começou muito bem, tanto que teve poucas chances na equipe titular. 

Ganhou algumas oportunidades após o atacante Cassiano se machucar, porém não conseguiu se firmar como titular. No geral teve uma participação sem destaque durante a temporada de 2014. O Jogador ainda chegou perto de renovar seu contrato para 2015, mas não teve acerto encerrando sua passagem com o Terror do Nordeste. 

Escrito por Daniel Leandro

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Em alta em jogos de 'mata-mata', Bruno Moraes tem pouca ambição por vaga no Santa Cruz


Duelos de “mata-mata” têm sido sinônimo de gols para Bruno Moraes nesta temporada. Já foram seis feitos pelo atacante nos confrontos eliminatórios de 2016. O último, o da classificação para a fase internacional da Copa Sul-Americana - na vitória por 1 a 0 sobre o Sport, na Arena de Pernambuco. O alto rendimento dele em partidas desta natureza não tem uma explicação lógica. Mas o retrospecto, de alguma forma, pode animar o Santa Cruz na sequência da competição continental e, porque não também, no Brasileiro. Ainda mais agora, com o Grafite sem fazer gols há 11 jogos no ano e vivendo a sua maior seca no clube. O “General”, no entanto, tem pouca ambição pela titularidade no lugar do veterano.

Bruno Moraes ainda não balançou as redes na Série A - contra oito já marcados por Grafite no campeonato. Em partidas de pontos corridos, a média de gols do “General” não tem sido boa. Quadruplica, entretanto, quando atua em jogos de eliminação. A primeira vez que o centroavante de 27 anos balançou as redes nestes duelos de playoff foi na primeira final da Copa do Nordeste, ainda em abril. Diante do Campinense, no Arruda, acabou sendo acionado ao 37 minutos do segundo tempo no lugar de Leandrinho e deu o gol da vitória, aos 47 (o 1 a 1, em Campina Grande, garantiria depois o inédito título regional aos corais).

No último Clássico das Multidões, Moraes saiu novamente do banco de reservas para fazer o Santa Cruz despachar mais um adversário em “mata-mata”. Na Copa do Brasil, embora o Tricolor tenha parado no Vasco da Gama, foram quatro gols feitos pelo jogador - todos como titular da equipe. Fez o tento solitário da classificação na primeira fase, diante do Rio Branco-ES; os dois no 2 a 0 aplicado no Vitória da Conquista, na etapa seguinte, além de mais outro na eliminação para os cruzmaltinos. 

O “General” agora cobiça fazer gols também no Brasileiro. Justifica o “jejum” no nacional ao afirmar que faltou apenas a bola chegar nele. “Não tive oportunidades. Ontem (na última quarta), estive bem posicionado.” Empurrou a bola para o fundo das redes do Sport à la Ronaldinho Gaúcho, virando o rosto para o lado oposto. “Bati consciente. Só dei uma olhadinha para saber se a marcação estava chegando. Tem que ficar ligado”, explicou a personificação da “marra” do ex-camisa 10 da Seleção Brasileira.

Fato é que Bruno Moraes está em alta depois do gol na Sula. Ainda assim, ele está longe de achar que vai tomar a vaga de Grafite no time. Mesmo com o titular numa fase infrutífera, prefere valorizar o camisa 23 e se contenta mesmo na mera condição de substituto. “Ser titular nunca me preocupou. (A reserva) não é algo que me incomoda, nem almejo ser titular. Grafite não está fazendo os gols, mas está ajudando. O gol vai sair. Ele é um ídolo”, afirmou. “No meu contrato não consta que vim para ser titular”, endossou.

Bruno Moraes em 2016

Jogos valendo pontos

18 Jogos (9 na Série A + 5 no Pernambucano + 4 no Nordestão)

2 Como titular (1 na Série A + 1 no Nordestão)

2 Gols(1 no Pernambucano + 1 no Nordestão)

0,1 Gol por jogo

Jogos "mata-mata"

14 Jogos (4 no Pernambucano + 4 no Nordestão + 5 na Copa do Brasil + 1 na Sul-Americana)

6 Como titular (1 Nordestão + 5 Copa do Brasil)

6 Gols (1 Nordestão + 4 Copa do Brasil + 1 Sul-Americana)

0,4 Gol por jogo

Total:
32 Jogos/8 Como titular/8 Gols/ 0,25 Gol por jogo

Fonte: Portal Super Esportes

sábado, 27 de agosto de 2016

Santa não teme Mineirão lotado e tem estratégia de usar pressão da torcida a seu favor


O Mineirão vai receber no próximo domingo (28) mais de 40 mil pessoas para a partida entre Santa Cruz e Cruzeiro/MG, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Para voltar a vencer - jejum de oito jogos sem vitória -, os tricolores precisam superar a pressão da torcida adversária e o forte time mineiro, que vive uma fase ruim na temporada.

Em relação ao calor da torcida da Raposa, o técnico Doriva minimizou o aspecto pressão e vê o estádio lotado como motivação para qualquer jogador. Para ele, o seu time tem que jogar com inteligência para desta forma tentar tirar proveito do clima do Mineirão. 

"Essa é a atmosfera que qualquer atleta gosta de jogar. Oxalá os estádios fossem cheios todos os jogos. O jogador gosta desse ambiente. Casa cheia é a atmosfera do futebol. Isso não vai alterar nada. Temos que ter equilíbrio dentro de campo para resolver os nossos problemas. Fazer uma partida inteligente e segura para buscar um grande resultado contra o Cruzeiro", ponderou.

O treinador coral crê que o Santa Cruz pode se aproveitar da cobrança da torcida adversária pela vitória para surpreender o adversário em Belo Horizonte. "A gente sabe que existe a pressão pelo fato do adversário estar jogando em casa e não ter um bom retrospecto. Temos que ser inteligentes para usar isso a nosso favor. Precisamos ser inteligentes e ter uma estratégia bem definida para aproveitar as oscilações do Cruzeiro durante a partida", disse.

Fonte: Portal Coralnet

sábado, 20 de agosto de 2016

Luan Peres é defendido por Doriva no Santa Cruz, mas técnico não descarta mudança na zaga


Luan Peres foi um dos poucos jogadores do Santa Cruz que apresentaram um baixo rendimento na rodada passada, no 2 a 2 diante do Vitória. Das tribunas do Barradão, o técnico Doriva viu o zagueiro errar constantemente no posicionamento durante quase toda a partida e ainda quase entregar um gol para o Vitória ao recuar de forma errada, de cabeça, uma bola para Tiago Cardoso aos 18 do primeiro tempo, quando o duelo ainda estava empatado em 0 a 0. Sorte que Kieza não aproveitou o vacilo e chutou para fora. Apesar das falhas, o recém-chegado treinador defende o atleta. Mas também diz que avalia se o reserva Wellington pode assumir o posto no futuro.

A vaga que ocupa Luan Peres é justamente a da peça mais regular do elenco: de Neris, fora por cerca de um mês devido ao agravamento de uma lesão na coxa direita. Após a notícia do veto do titular, Peres assumiu a posição contra o Vitória, sendo escalado pelo interino Adriano Teixeira. Já havia atuado antes como titular, diante do Atlético-MG, substituindo Neris, que já sentia dores à época. Não comprometeu, embora tenha levado pedaladas desconsertantes de Robinho no terceiro gol no 3 a 0 para o Galo.

Wellington, por sua vez, foi regular nas quatro vezes que atuou. Jogou contra Internacional Coritiba (este entrando no segundo tempo), além dos dois jogos com o Vasco pela terceira fase da Copa do Brasil, quando o ex-técnico coral Milton Mendes se utilizou de um time misto. Doriva ainda é prudente em relação a escolha entre os dois zagueiros. Indica que no domingo, diante do Fluminense, no Arruda, Luan Peres deve ser acionado de início para dar-lhe sequência. Mas afirma que, sem Neris, vai avaliá-lo melhor junto a Wellington com o passar do tempo.

“Pesa (a favor de Luan) a sequência. Ele vem jogando. Jogou o último jogo. Oscilou um pouquinho, mas é natural. Ele é um jovem. Estamos trabalhando com a hipótese (de escalá-lo, domingo), mas também temos o Wellington, que também tem condições de jogar. Estou vendo agora com os meus olhos e vou avaliar isso mais precisamente para colocar aquele que estiver em melhor condição. A gente não tem preferência por A nem por B”, frisou Doriva.

Fonte: Portal Super Esportes

Uillian Correia exalta trabalho de Doriva e ressalta importância do segundo turno para o Santa


Após se recuperar das dores no pé esquerdo, Uillian Correia retornou na partida contra o Vitória/BA, no empate em 2 a 2, e foi um dos destaques do Santa Cruz no jogo. Em coletiva de imprensa, o volante falou sobre a importância de voltar a vencer no Campeonato Brasileiro e destacou que o segundo turno deve ser encarado como “19 finais”. O jogador exaltou o trabalho do técnico Doriva e quer fazer uma boa partida contra o Fluminense/RJ, neste domingo (21), às 16h, no Estádio do Arruda.

“Voltar a vencer é importante, mas com responsabilidade. Não podemos sair de qualquer maneira. Sabemos da qualidade do Fluminense, e eles também jogarão pelo resultado. Temos que ter inteligência e redobrar nossa atenção. O nosso nível de concentração tem que aumentar. O ponto que conquistamos fora de casa dá uma confiança maior para nós contra o Fluminense, e se vencermos essa confiança aumentará ainda mais”, destacou.

Segundo turno

“Senti umas dores muito fortes no meu pé, e acabei ficando fora por duas partidas. Não pude ajudar e só fique na torcida. Mas agora não podemos lamentar. Começamos bem o segundo turno pontuando fora de casa. Sabemos da responsabilidade que temos neste segundo turno e devemos encarar como 19 finais. Temos que trazer o torcedor para o nosso lado e fazer do Arruda um caldeirão”, ressaltou o volante tricolor.

Doriva

“O Doriva é um treinador moderno, que dispensa comentários. Um cara simples e humilde, que trata todo mundo da mesma forma. Veio para agregar. Não há titulares e reservas, pois todos são importantes para ele. Estamos fechados com ele, e tenho certeza que ele vai nos ajudar muito. Com muito trabalho iremos sair da situação que estamos”, disse.

Reação

"Jogamos partidas que ficamos atrás no placar e não conseguimos reverter. Contra o Vitória mostramos outra reação, pois ficamos duas vezes atrás e conseguimos o empate. A torcida pode esperar muita determinação e raça de todos os jogadores. A mobilização é de todo mundo, e tenho certeza que com o apoio do nosso torcedor vamos fazer um grande jogo no domingo e conseguir um bom resultado”, finalizou Uillian Correia.

Fonte: Portal Coralnet